Acabe com a gengivite em 7 passos

Por Nova DFL em segunda-feira, 21 jan 2013

Segundo um estudo divulgado pelo Ministério da Saúde, até os 12 anos de idade, 37% da população brasileira é acometida por algum tipo de doença periodontal. Entre 15 e 19 anos, este número atinge a casa dos 49,1%, vai para 82% entre 35 e 44 anos e chega à marca de 98,2% entre 65 e 74 anos.

Estes números fazem referência à doença periodontal como um todo, não somente à gengivite – inflamação na gengiva –, forma mais branda da doença. “Caso fizéssemos um exame mais acurado, em praticamente 100% da população brasileira encontraríamos algum ponto de sangramento no tecido gengival, principal sinal clínico para o diagnóstico da gengivite”, diz o cirurgião-dentista, Pedro Paulo Bak Mansi, especialista em periodontia.

A principal causa da gengivite é o acúmulo de placa bacteriana. Assim, uma boa higiene oral pode prevenir a doença. Mas não basta apenas escovar os dentes, as visitas ao dentista são indispensáveis. “Aconselharia que fossem feitas três visitas ao longo do ano, ou seja, uma visita a cada quatro meses”, recomenda.

Se entre os intervalos das consultas houver sangramento na gengiva, seja com o uso do fio dental ou ao escovar os dentes, é aconselhável agendar uma visita imediata para o profissional avaliar o caso. “O ideal é que, observada esta condição, o paciente continue mantendo um bom padrão de higiene bucal”, afirma Pedro Paulo Mansi.

Bem usados, a escova de dente e o fio dental são mais do que suficientes para uma boa higiene. Para quem tem dentes um pouco mais afastados uns dos outros, casos em que ocorrem grandes acúmulos de restos de alimentos, a escova interdental ajuda bastante na higiene. “A escova interdental é um método auxiliar complementar de higiene e de maneira alguma deve substituir o uso da escova dental e do fio”, ressalta o especialista.

Passo a passo para acabar com a gengivite

1- Realize uma boa higiene bucal pela manhã, depois do almoço e, principalmente, antes de dormir.

2- Use uma escova dental de boa qualidade, pasta de dentes e fio dental todas as vezes que for realizar a higiene bucal.

3- De maneira alguma substitua nenhum dos itens acima por qualquer outro produto do mercado, tais como os enxaguantes bucais e escovas interdentais. Estes podem ser usados como complementos, nunca como substitutos, quando o dentista recomendar.

4- Caso haja sangramento na gengiva, não suspenda o uso do fio dental. Marque uma consulta e peça a orientação do dentista.

5- Consulte um cirurgião dentista pelo menos de seis em seis meses. Caso seja possível, faça três visitas ao ano – quatro em quatro meses. Nesses intervalos de tempo, caso note alguma alteração, retorne ao consultório imediatamente.

6- Nunca faça uso de remédios ou produtos odontológicos sem o conhecimento de um bom profissional. A única pessoa habilitada a indicar produtos odontológicos de uso contínuo ou remédios é o cirurgião dentista.

7- Mantenha uma boa dieta. Não podemos esquecer que, além da gengivite, uma alimentação rica em açúcar pode causar cáries.

 

Não tem coisa mais incomoda do que uma afta, não é? Bem , mas na verdade, ninguém sabe ao certo como aparece uma afta. Alguns especialistas dizem que ela pode ser resultado de uma doença auto-imune, quando o próprio organismo produz substâncias que atacam a mucosa da boca e levam à formação da ferida. Outros acreditam que a afta também pode ser provocada pela ação de um vírus. Além de tudo isso, existem suspeitas que a afta pode ser desencadeada pelo consumo excessivo de alimentos muito condimentados ou ácidos, pelo estresse ou até mesmo pela proximidade da menstruação nas mulheres.

Podemos ter dois tipos de afta: minor e major. A primeira é mais freqüente e atinge apenas a superfície da mucosa da boca. Desaparece em mais ou menos dez dias e não deixa marcas. Já na afta major, a ferida é maior, mais dolorida e leva até um mês para sumir. Para completar, deixa cicatrizes brancas na mucosa. Apesar de todas as dores que provocam, não há nada que possa ser feito contra esse incômodo – não existem remédios específicos para combater as aftas, só algumas pomadas que aliviam a dor.

Atenção!!! Para aqueles que acham que o Bicarbontato de sódio é um “santo remédio”. Na verdade este sal serve apenas para diminuir a dor, pois destrói as células nervosas responsáveis por ela, porem destrói também, os tecidos saudáveis da mucosa fazendo com que a afta demore ainda mais a desaparecer.

Mas o que acontece?
1. A pessoa começa a ter uma sensação de queimação e surge uma área avermelhada na gengiva ou na língua
2. Quatro dias depois, surge uma ferida coberta por uma membrana branco-amarelada, e circundada por um halo vermelho
3. A ferida rompe a derme e atinge o tecido conjuntivo, que é irrigado por vasos nervosos – e aí vem a dor.

 

Fonte: Portal Terra