Um em cada oito adultos tem dentes sensíveis.

Por Nova DFL em segunda-feira, 11 mar 2013

Dor ao comer ou beber algo quente ou frio. É com esse dilema que convivem milhares de pessoas que sofrem com dentes sensíveis, que representam um em cada oito adultos, de acordo com uma nova pesquisa publicada no periódico de março do Journal of The American Dental Association. O problema, decorrente do desgaste do esmalte do dente que deixa a dentina ? camada que possui prolongamentos do nervo – exposta, foi o foco de atenção de especialistas de instituições como a University of Washington e a Oregon Health and Science University, nos Estados Unidos.

Confira oito hábitos que podem deixar seus dentes sensíveis:

Recessão gengival
Mastigação errada e escovação com muita força podem contribuir para a retração da gengiva, que deixa a parte do dente que cobre os nervos – a dentina – exposta, como explica a odontologista Ivany Kabbach. Ao notar essa recessão, é preciso procurar um dentista o mais rápido possível. “Uma vez retraída, a gengiva não volta mais à posição original”, conta. “Por isso, a única maneira de recuperar é através de enxerto gengival, ou seja, remover gengiva de uma área para recobrir a parte da gengiva perdida.”

Escovação exagerada
“Além de causar recessão da gengiva, a escovação muito forte provoca desgaste do esmalte, deixando a dentina desprotegida”, conta Ivany Kabbach. Para evitar os dentes sensíveis nesse caso, é preciso escovar os dentes com movimentos suaves e curtos, sem pressionar demais a escova – não é a força que vai determinar a limpeza dos dentes.

Dentes lascados
Uma lasquinha no dente já pode ser suficiente para tirar a proteção do esmalte e deixar a dentina exposta, aumentando a sensibilidade. Por isso, evite o hábito de abrir garrafas ou embalagens com a boca. O dente não deve ser usado como ferramenta.

Bruxismo
O hábito de apertar e ranger demais os dentes – bruxismo – provoca desgaste e perda do esmalte. “Esse desgaste acontece tanto no colo do dente quanto nas bordas, deixando-o mais sensível”, conta Ivany Kabbach. Uma das maiores causas do bruxismo é o estresse, mas é possível evitar os danos que ele provoca nos dentes usando um protetor bucal especial, indicado por um dentista.

Enxaguante bucal
A odontologista Maristela Lobo, doutora em Clínica Odontologia, conta que os enxaguantes bucais com pH ácido podem contribuir para agravar a sensibilidade dos dentes. “O enxaguante deve ser prescrito pelo dentista e usado com cautela, uma vez que pode causar a falsa sensação de que a boca está limpa”, adverte a especialista. “O que realmente limpa os dentes e as mucosas é o atrito das cerdas da escova e o fio dental.”

Alimentos ácidos
Refrigerantes, frutas cítricas, vinagre e outros alimentos ácidos podem agravar a sensibilidade. “Em médio e longo prazo, esses alimentos podem acelerar um processo de desmineralização dos dentes, deixando expostas partes dos dentes que são muito sensíveis”, explica o dentista Romano Mancusi, do Instituto Paulista de Cancerologia (IPC).

A odontologista Maristela Lobo conta que as dores poderão ficar ainda mais intensas se os dentes forem escovados logo após a ingestão desses alimentos. “O atrito da escova com a superfície atacada pelo ácido abrasiona o dente, causando ainda mais sensibilidade”, explica. Por isso, o ideal é evitar o consumo em excesso desses alimentos.

Clareamento dental
Os tratamentos para deixar os dentes mais claros só são perigosos se feitos sem acompanhamento profissional. “O clareamento dental causa uma leve irritação nas células pulpares, que são as células que existem dentro de dente, já que este é uma estrutura viva”, conta a odontologista Maristela Lobo. Ela lembra, no entanto, que a sensibilidade causada por essa irritação é temporária e não causa danos ao dente.

“Tanto o tratamento em consultório como o caseiro não são agressivos, desde que acompanhados por um dentista que deve ajudar na escolha do agente clareador, no número de aplicações, espaço entre cada aplicação e tempo de tratamento”, esclarece o dentista Romano Mancusi.

Alimentos muito frios ou quentes
Quando a dentina já está exposta e, consequentemente, os nervos dos dentes ficam vulneráveis a qualquer variação brusca de temperatura. Segundo a odontologista Ivany Kabbach, o ato de morder ou mastigar um alimento muito frio ou quente provoca alterações repentinas na polpa (nervo), o que causa irritação e dor. Para amenizar esse problema, é preciso tratar a sensibilidade com um odontologista, que indicará produtos especiais, como flúor em gel e pasta para dentes sensíveis.

Fonte: http://suarotina.com.br/saude/